Dicas para viajar barato!

postado em: Todos os posts | 3

Convenhamos….em tempos de economia difícil, pode parecer absurdo pensar em viajar, principalmente para destinos mais caros, como Europa e Estados Unidos. Nada mais natural do que pensar: “pô, viajar agora não! Que loucura! Melhor esperar o dólar baixar.”

A desvalorizção do Real traz preocupação
A desvalorização do Real traz preocupação

Mas não se preocupe tanto! Há estratégias que permitem viajar a um custo muito menor do que se imagina! Você pode se surpreender!

Não deixe que seus planos de conhecer aquele destino dos sonhos sejam frustrados por questões de grana! E muitas vezes é muito mais uma questão de falta de informação do que de dinheiro!

O segredo é o planejamento! E, claro, o destino escolhido pode dar uma forcinha…há países, como a Bolívia e a Tailândia, que favorecem os esforços para manter o orçamento de viagem sob controle. No entanto, outros, como Inglaterra e Islândia, tornam a tarefa um verdadeiro desafio (embora não impossível!).

Atenção às premissas básicas para se viajar barato:
  1. Pesquise sobre os custos médios no destino, principalmente hospedagem, transporte, alimentação e entretenimento, e veja se a viagem cabe no seu bolso. Use sites como o quantocustaviajar.com ou o budgetyourtrip.com como pontos de partida.
  2. Antes da viagem faça uma planilha com as despesas planejadas.
  3. Durante a viagem tome cuidado e não estoure o orçamento!

Dicas gerais

Viaje por países mais baratos – Bolívia, Peru, Tailândia, Indonésia, entre outros, são destinos que permitem um orçamento de viagem mais amigável do que outros, como Austrália, Inglaterra ou EUA.

Viaje pelo Brasil – Verdade seja dita, quando comparado a muitos outros destinos interessantíssimos, o Brasil não é dos países mais baratos para se viajar, mas fica muito mais em conta do que Europa ou América do Norte. Uma vantagem incontestável em viajar dentro do país: temos acesso a lugares maravilhosos sem precisar gastar muito com tarifas aéreas!

Viaje em baixa temporada – Evite épocas de pico, em que multidões lotam hotéis, albergues, estradas e praias, fazendo com que o preço de tudo suba consideravelmente. Se puder, vá quando o movimento turístico estiver mais tranquilo, para ter alternativas de hospedagem mais baratas, poder barganhar ao fazer algum passeio, ou na hora de comprar uma lembrança na lojinha da esquina.

Transporte

Tarifas aéreas – Fique de olhos nas promoções de passagens aéreas! O blog Melhores Destinos publica posts relacionados a isso diariamente, e sites de busca, como o Decolar.com, enviam alertas de promoções por email, basta se cadastrar quando pesquisar o vôo que te interessa! Já o Google Flights é uma ótima ferramenta para se pesquisar preços de passagens em geral.

Obs.: nem sempre o melhor é comprar com a maior antecedência possível, muitas vezes boas promoções aparecem entre 60 e 40 dias antes da data da viagem.

Use transporte local – Evite ônibus e transportes essencialmente turísticos. Use metrô, lotações, tuk-tuks, etc. Enfim, locomova-se como fazem os moradores locais!

Cadastre-se no Uber – Este serviço já está disponível em muitos países! Por meio do aplicativo, você consegue um carro com motorista confiável e, muitas vezes, por um preço mais camarada que táxis normais. O valor é pré-estabelecido, e descontado diretamente no seu cartão de crédito.

Pegue carona – Ao contrário do que muita gente imagina, pegar carona não é assinar um atestado de óbito. É muito difícil que você seja pego por um serial-killer viciado em esquartejar caroneiros inocentes.

Claro, é preciso tomar precauções, e aqui cabem algumas palavras de cuidado: em hipótese alguma faça isso à noite ou sozinho, especialmente as meninas! É bom estar com um parceiro de viagem ao pegar carona e, antes de entrar no carro, olhe pra cara do motorista e use o bom senso para não se meter numa fria!

Em busca de uma carona nada convencional.
Em busca de uma carona nada convencional.

Alugue uma bicicleta – Em muitos destinos, principalmente as grandes cidades, como Londres e Cidade do México, é possível alugar bicicletas por períodos pré-determinados.

Caminhe – O método de locomoção mais antigo de todos! Largue a preguiça de lado e use suas pernas!

Hospedagem

Albergues/hostels – Anteriormente conhecidos como “albergues da juventude”, hoje a grande maioria desses estabelecimentos econômicos já não possuem restrições etárias. Em geral, os quartos são dormitórios compartilhados, mas muitas vezes há também quartos privativos.

Excelente opção para quem quer socializar e fazer amizades, principalmente se estiver viajando sozinho. Há aqueles que chamo de “albergues-balada”, mais agitados, com um público mais jovem e festeiro; mas existem também albergues mais tranquilos, para quem busca mais sossego. Use sites como o Hostel World ou o Hostel Bookers para escolher o que melhor combina com você.

Hotéis e pousadas econômicas – Utilizando sites como o Booking.com, o Expedia ou o Trip Advisor, busque hotéis mais simples, mais em conta do ponto de vista monetário, e atente às opiniões de outros usuários.

Obs.: muitas vezes, em baixa temporada, é até mais interessante fechar esse tipo de hospedagem na hora, sem fazer reserva com antecedência. Se tiver tempo e disposição, use os sites acima para compor uma pequena lista e vá até esses lugares pessoalmente, quando já estiver na cidade.

Couchsurfing – Alternativa sensacional, que permite hospedar-se em casas de moradores locais de graça e, de quebra, saber, em primeira mão, como vivem os nativos e obter dicas que não estão nos guias turísticos! Cadastre-se no site e surfe em sofás pelo mundo!

Use o Airbnb – Serviço de abrangência mundial, baseado no aluguel de acomodações em casas de moradores locais. Pode ser um sofá, um quarto ou a casa inteira. Geralmente mais barato do que hotéis convencionais e com a vantagem de poder se sentir em casa.

Acampe – Opção muito legal para quem gosta do contato com a natureza e não tem frescura. Especialmente interessante em destinos de praia e em cidadezinhas pequenas.

Economize com hospedagem acampando e, de quebra, amanheça em meio a paisagens deslumbrantes!
Economize com hospedagem acampando e, de quebra, amanheça em meio a paisagens deslumbrantes!

Alimentação

Faça compras no mercado – Faça como os moradores locais! Evite comer fora todos os dias, vá ao supermercado ou ao mercadinho da esquina e faça suas compras, como se estivesse em casa vivendo sua vida normal.

Faça seu próprio rango – Hospeda-se em lugares que te permitam isso. Geralmente albergues têm cozinha disponível para hóspedes ou, se for ficar em casa de locais (através do Couchsurfing ou Airbnb, por exemplo), converse com seus anfitriões sobre isso com antecedência.

Prepare seu lanche – Antes de sair para as atividades do dia, prepare um lanche com sanduíche, frutas, uma barra de cereais e um suco, meta na mochila e pronto! Evite ter que arcar com os sobrepreços de lanchonetes e restaurantes próximos às atrações turísticas.

Coma na rua – Sabe aquela barraquinha de esquina, onde os locais comem sanduíches, cachorros-quentes, tacos, etc? Pois é! Geralmente são uma preciosidade para quem quer economizar.

Experimente os sabores das ruas!
Experimente os sabores das ruas!

Entretenimento

Caminhe por aí – Andar pela cidade, pelos parques e pelo campo não custa nada, e é uma ótima maneira de se conhecer um lugar!

Atrações gratuitas – Muitas cidades oferecem atrações que não custam nada, como museus, galerias de arte e apresentações na rua. Londres é um ótimo exemplo disso! Veja se seu destino oferece opções assim.

Free Walking Tours – Atividade presente em muitas das principais cidades turísticas do mundo, como Rio de Janeiro, Paris e Nova York. Um guia te leva, junto com um grupo, pelos pontos de maior interesse do lugar. Pesquise sobre as opções de roteiros no seu destino e vá até o ponto de encontro no horário marcado. Geralmente uma praça central ou um ponto de referência na cidade. Para encontrar, digite no Google “Free walking tour La Paz”, por exemplo.

Obs.: por “free”, entende-se que não se paga pelo passeio em si, mas é usual dar uma gorjeta ao final do passeio. Claro, essa gorjeta é opcional, mas é extremamente rude não dar nada em troca a um sujeito que te levou pela cidade por umas duas horas dando informações turísticas que um tour convencional teria cobrado muito mais.

Compre ingressos com antecedência – Pesquise sobre shows e apresentações que estarão ocorrendo nas datas de sua viagem. Entre nos sites devidos e compre os ingressos. Geralmente se consegue disponibilidade e preços melhores do que se comprar na hora.

Obs.: essa dica vale para shows e eventos ocasionais, não para atrações fixas, como museus e galerias de arte. Nessas últimas, comprar com antecedência vale, no máximo, evitar fila na hora de entrar.

Compre ingressos de última hora – Parece contraditório com relação à dica anterior mas, em muitos casos, como os musicais de Londres e Nova York, é melhor comprar os ingressos de última hora, já no dia do evento, em postos de venda ou na bilheteria do próprio local onde ele acontecerá.

Posto de vendas de ingressos de última hora para musicais e outros shows na Broadway, em Nova York.
Posto de vendas de ingressos de última hora para musicais e outros shows na Broadway, em Nova York.

Mais uma vez, o segredo de viajar a baixo custo é um planejamento prévio bem feito! Preste atenção às opções de hospedagem e alimentação, combinando-as para otimizar as despesas. A melhor maneira de se economizar é fazer como os locais fazem, principalmente com relação à alimentação e transporte!

Curtiu? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

3 Respostas

  1. É verdade. São tantas possibilidades!!!
    Uma coisa é certa: mais difícil que ter dinheiro, é ter coragem para se jogar no mundo…

  2. facebook-profile-picture

    Muito bem colocado Chris!

  3. Sempre prefiro me hospedar em hostels

    São mais baratos e da pra conhecer bastante gente interessante

Deixe uma resposta