Ushuaia – A cidade mais austral do mundo

Picos gelados, o Canal de Beagle e casas com telhados coloridos compõem o cenário espetacular da cidade mais austral do mundo, localizada na Tierra del Fuego. Tudo isso dá a sensação de que realmente se está em um lugar ímpar e, de fato, não há lugar como Ushuaia.

Antes da colonização europeia das Américas, a Terra do Fogo já era habitada por povos indígenas há milênios. Caçadores-coletores nômades viviam ali em condições rústicas e se vestiam pouco, apesar das condições climáticas extremas.

Apesar de incursões europeias na região desde o século XV, somente a partir do século XIX é que ocorreu a colonização efetiva dessa porção inóspita do continente. À princípio por iniciativas religiosas ou científicas, mas obviamente com interesses políticos por trás.

O que predomina aqui são as atividades ao ar livre, como trekking e passeios de barco pelo Canal de Beagle, mas há também museus espetaculares, como o Museu Marítimo e o Museu Penitenciario, localizados no antigo presídio de segurança máxima de Ushuaia. Para quem gosta de jogatina, há um cassino bem interessante no centro da cidade.

O ideal é permanecer ali por cerca de 4 dias. Atividades de destaque são o passeio de barco no Canal de Beagle, trekking e passeios de 4×4 levam aos lagos Fagnano e Escondido. As caminhadas mais interessantes são a do Cerro Martial, que oferece uma vista espetacular da cidade e do canal, a da Laguna Esmeralda e as várias opções no Parque Nacional da Tierra del Fuego.

Ushuaia foi a primeira etapa da minha viagem à Patagônia. Cheguei a essa charmosa cidade, na extremidade sul da Argentina, às vésperas da virada de ano 2014/2015, já com reservas feitas para o Hostel Cruz Del Sur, um albergue familiar muito simpático e aconchegante, onde fui muito bem recebido pela Marisa e pela Ana Di Giorno, mãe e filha que cuidam de seus hóspedes como se fossem da própria família.

Já preparavam uma festa de ano novo e tudo que precisei fazer para me juntar a ela foi ir ao supermercado, comprar frango e uma garrafa de vinho. No cardápio da ceia: frango assado, cordeiro patagônico, empanadas e outros pratos, acompanhados por vinho, cerveja, e outras coisas que a galera havia trazido.

Amigos no Hostel Cruz del Sur.
Amigos no Hostel Cruz del Sur.

Cerro Martial

No dia 1 de janeiro, meio de ressaca, não tive pressa para levantar da aconchegante cama que me acolhia. No café da manhã conheci Nora, Trish e Lee, com quem resolvi ir ao Cerro Martial, localizado a cerca de 7 km do centro de Ushuaia, onde fica a estação de esqui mais austral do mundo. No verão não há esqui, mas o clima por aqui é bem maluco e, ao subir, pegamos uma nevasca repentina, mas que logo se dissipou.

Nevasca Cerro Martial
Nevasca na trilha ao Cerro Martial.

Pode-se chegar até o estacionamento da estação de esqui de taxi, ou mesmo a pé, se preferir. Dali, um trekking muito prazeroso leva até o alto do morro, de onde se tem uma vista deslumbrante da cidade e do Canal de Beagle. Se tiver sorte, como eu, você pode experimentar as quatro estações em um único dia, com sol escaldante, chuva, neve e vento (vento patagônico! Não qualquer vento!). Quem preferir, pode subir de teleférico desde o estacionamento e então caminhar apenas 1h até o topo do morro.

Parque Nacional Tierra Del Fuego

Fica a cerca de 12km de Ushuaia, e é um dos pontos de maior interesse na região. O acesso pode ser feito de ônibus. Há varias opções para trekking, nas quais pode-se observar as singulares belezas naturais. O Parque ganha destaque também por ser onde termina a Ruta-3, que faz parte do sistema panamericano de rodovias, através do qual é possível chegar até o Alasca!

Nora (minha nova companheira de viagem) e eu fizemos a Senda Costera, que margeia o Canal de Beagle em meio a florestas de lengas e faias, onde rochas cobertas por musgo conferem um ar místico ao lugar. O vento passava ligeiro pelas copas das árvores, fazendo com que seus troncos rangessem ruidosamente.

Floresta no Parque Nacional Tierra del Fuego
Trilha no Parque Nacional Tierra del Fuego.

Laguna Esmeralda

Acertamos o transporte através do pessoal do albergue e fomos deixados de van às margens da Ruta-3. Nora, Carlos, um outro brasileiro que conheci no albergue, e eu seguimos a trilha através de um charco lamacento (importante usar botas impermeáveis aqui!).

Essa trilha passa por um cenário muito interessante, com muitas barragens construídas por castores em riachos. Não vimos castores, mas é interessante observar essas estruturas, edificadas por eles para se abrigar.

Após 2h30min de caminhada chegamos ao cenário estonteante composto pelo lago verde-esmeralda (a Laguna) no sopé de montanhas cinzentas geladas, um contraste incrível de cores!

Canal de Beagle e museus

Deixei o passeio do Canal de Beagle para a última tarde em Ushuaia, à bordo de um barquinho com um capitão e um guia que eram umas figuras! Até cerveja ofereceram no passeio, que desfrutamos na minúscula cabine, abrigados do vento frio, ao som de Manu Chao.

Nesse passeio se visita vários pontos de interesse, como a Ilha dos Lobos e o emblemático farol Les Eclaireus. Também faz-se uma caminhada rápida em uma das ilhotas a fim de se observar a flora característica da área.

No último dia pela manhã, antes de seguir viagem para El Calafate, visitei o Museu do Presídio e Museu Marítimo, sediados na histórica penitenciária de segurança máxima de Ushuaia, hoje desativada.

Antigo Presídio de Segurança Máxima de Ushuaia.
Antigo Presídio de Segurança Máxima de Ushuaia.
Curtiu? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Deixe uma resposta